Estremadura Vinhos Vinhos de Lisboa Wines

QUINTA DO GRADIL – Legado do Marquês de Pombal

LOGO2
A Quinta do Gradil estará sempre intimamente ligada à história de Portugal. A Quinta desde 1492 que existe, e os documentos a comprová-lo remontam a 14 de Fevereiro de 1492, onde D. Martinho de Noronha recebe de D. João II uma carta de doação para administrar terras na região do Cadaval, que incluíam então a Quinta do Gradil. As marcas históricas são seculares, a comprovar isso mesmo está o traço arquitetónico da casa.
A Quinta do Gradil estará sempre intimamente ligada à história de Portugal. A Quinta desde 1492 que existe, e os documentos a comprová-lo remontam a 14 de Fevereiro de 1492, onde D. Martinho de Noronha recebe de D. João II uma carta de doação para administrar terras na região do Cadaval, que incluíam então a Quinta do Gradil. As marcas históricas são seculares, a comprovar isso mesmo está o traço arquitetónico da casa.

Após a coroação de D. Manuel I, este doa a D. Álvaro de Bragança a Quinta do Gradil, irmão mais novo do 3º Duque de Bragança, D. Fernando II. Acusado de traição foi condenado à morte por decapitação.

Por ocasião do Movimento de Ocupação de Terras Municipais em 1760, a Quinta foi adquirida pelo Marquês de Pombal, sendo que o cultivo da vinha já era prática a juzante.

Este slideshow necessita de JavaScript.

historia_2_marques_de_pombal

 

A Quinta continuou na posse dos descendentes do Marquês até meados do século passado, tendo sido comprada por Sampaio de Oliveira.

O atual proprietário, Luís Vieira, adquiriu a propriedade em fins dos anos 90.

“Não muito distante do sopé da vertente poente da Serra de Monte junto, entre Vilar e Martim Joanes, está instalada a Quinta do Gradil. Considerada uma das mais antigas, senão a mais antiga, herdade do concelho do Cadaval, a Quinta do Gradil tem uma forte tradição vitivinícola que se prolonga desde há séculos. A propriedade é composta por uma Capela nobre ornamentada por um torreão artisticamente decorado, um núcleo habitacional, uma adega e uma área agrícola de 200 hectares ocupados com produções vinícolas e frutícolas.

A Quinta do Gradil foi adquirida, nos finais dos anos 90, pelos netos de António Gomes Vieira, precursor da tradição de vinhos na família desde 1945. Os novos proprietários iniciaram, em 2000, o processo de reconversão de toda a área de vinha primando por castas de maior qualidade. A adega sofreu melhoramentos, estando projectada uma reformulação profunda nos próximos 2 anos, e as cocheiras recuperadas deram lugar a uma sala de tertúlias. O palacete e capela, em fase muito avançada de degradação aquando da aquisição da Quinta pelos novos proprietários, foram limpos e contam agora com um projecto ambicioso de recuperação”

ALGUM PORTEFÓLIO

(clique nas fotos para ampliar)

 Vinha e Adega

A vinha é conttituída por 120 hectares, na qual se encontram plantadas variadíssimas castas brancas e tintas. Sauvignon Blanc, Arinto, Viosinho, Viognier, Chardonnay, Petit Manseng, Cabernet Sauvignon, Tinta Roriz, Touriga Nacional, Tannat, Petit Verdot, Syrah, são alguns exemplos. A paisagem da vinha é responsabilidade do Engº. Bento Rogado.
A vinha é conttituída por 120 hectares, na qual se encontram plantadas variadíssimas castas brancas e tintas. Sauvignon Blanc, Arinto, Viosinho, Viognier, Chardonnay, Petit Manseng, Cabernet Sauvignon, Tinta Roriz, Touriga Nacional, Tannat, Petit Verdot, Syrah, são alguns exemplos. A paisagem da vinha é responsabilidade do Engº. Bento Rogado.

Todas estas uvas são vinificadas na adega da Quinta, sob coordenação do Eng.º Pedro Martins, tudo supervisionado pelos enólogos Vera Moreira e António Ventura.

Quinta-do-Gradil-Header-03

 

1 Comentário

Deixe o seu comentário