Estremadura Vinhos Vinhos de Lisboa Wines

PALESTRA SOBRE VINHOS LEVES DE LISBOA NO MUSEU DO VINHO EM ALENQUER

LOGO CONF VLL

LOGO CONF VLL

Com o apoio
Com o apoio

Patrocínios e apoios do evento

11846617_956773471079272_4159961461315573784_n

 

Aconteceu ontem no Museu do Vinho Alenquer. Uma iniciativa conjunta entre Município de Alenquer e o Clube De Vinhos Portugueses, sob chancela da CVR Lisboa. Entre os oradores estiveram o Engº Herculano Almeida, o Sr. Presidente da Câmara, Dr. Pedro Folgado, Sr. Engº. Antonio Ventura Presidente da Comissão de Provadores e conhecido enólogo, Engº. Vasco Miguel ( o criador e legislador inicial ), Dr. Simão Ravara de Oliveira do Instituto Politécnico de Leiria, Engº Nuno Galvão ( ADEGA COOPERATIVA DA VERMELHA e Caves Rendeiro) e eu. No fim houve prova de vinhos leves gentilmente cedidos pelas Caves Rendeiro e Adega Cooperativa Labrugeira com umas tapas suberbamente preparadas na Taberna do Areal.

12748054_1168423313197801_3078644246970762027_o

A conferência revelou-se ser um local onde cada interveniente expôs o que pensava sobre esta pérola por trabalhar na Região de Vinhos de Lisboa.

O Dr. Pedro Folgado realçou a importância dos vinhos leves para o seu concelho de Alenquer e entendeu que se enquadra dentro da gastronomia local.

O Engº Vasco Miguel o autor falou-nos sobre toda a génese que o levou a uma dura batalha no sentido de certificar perante as instâncias nacionais e internacionais, para tornar possível termos os Vinhos Leves legalizados e depois certificados.

Da parte do Engº António Ventura tivemos a visão de quem tem muitos quilómetros destas andanças, onde referiu em primeiro lugar que se nada for feito, dentro de 10 anos estaremos a lamentar o facto de a Região de Vinhos de Lisboa ter perdido a batalha na promoção deste vinho único. A segunda idéia vem no sentido de que o ideal seria haverem entendimentos entre os diversos produtores no sentido de serem criadas marcas fortes e com um preço mais condizente, e não por valores em que o lucro é quase inexistente. A terceira está relacionada com a imagem da garrafa e rótulos partirem para algo mais sofisticado a atrativo.

Seguiu-se a minha intervenção, primeiro focando os principais DOC’s onde se produzem os Vinhos Leves na Região de Lisboa, depois uma comparação com os Vinhos Verdes, terminei numa 2ª parte com a questão das harmonizações. No fim deste artigo deixo as imagens JPEG dos meus diapositivos.

O Engº Nuno Galvão veio-nos trazer todo o seu ponto de vista na qualidade de enólogo, além das excelentes Caves Rendeiro da muito bem sucedida marca “Mundus”, produzida pela Adega da Vermelha. Trouxe-nos idéias sobre o perfil do consumidor, o perfil dos vinhos leves e muito mais haverá a dizer em próximas conferências sobre vinhos leves.

cvl10

Por fim, tivemos a riquíssima abordagem do Dr. Simão Oliveira, do Instituto Politécnico de Leiria, Escola Profissional de Peniche, sobre o tema do Enoturismo, a caracterização dos visitantes, da zona de Vinhos de Lisboa e mais algumas temáticas a referir futuramente.


 

OS MEUS DIAPOSITIVOS

VINHOS LEVES REGIONAIS DE LISBOA

VINHOS LEVES E HARMONIZAÇÃO COM GASTRONOMIA

Deixe o seu comentário