Douro Notas de Prova Os melhores Os Melhores Vinhos Tintos Rankings Regiões Vinhos Wines

MorValley Vinhas Velhas Tinto 2013

apreciacao-morvalley-vinhas-velhas-tinto-2013

Foi provado o vinho MorValley Vinhas Velhas Tinto 2013, produzido na Região Demarcada do Douro


Dados sobre o vinho

Região: Douro
Produtor: MorValley
Castas: Touriga Franca, Touriga Nacional
Álcool: 14%

Clima: Características mediterrânicas (micro-clima), com variações climatéricas acentuadas.
Solo: Xisto-argiloso com alguns laivos granítinos
Denominação: DOC Douro

Notas de Prova

  • Aspeto: Côr rubi carregada profunda.
  • Aroma: Boas notas de cacau, chocolate e muita fruta madura com predominância de frutos silvestres escuros como amoras.
  • Na boca: Apresenta bons taninos, bem domesticados, sedosos, acidez muito correta, um tinto para muitos e bons anos de descanso. Assim o deixem …
  • O final: Persistência de médio-longo comprimento.

Classificação: 87

ficha-apreciacao-morvalley-vinhas-velhas-tinto-2013
Temperatura de Serviço: 15ºC


Harmonização (Wine Pairing)

Um prato composto com carne de borrego bem temperada, especiada e a acompanhar com a acidez do tomate e a intensidade do feijão, requer um vinho taninoso, com madeira e estruturado.

Costeletas de Borrego com salada de feijões quentes e tomates assados

Chef Gordon Ramsay

Ingredientes

Para os tomates assados lentamente:

  • 2 colheres (sopa) azeite
  • 3 tomates maduros, cortados em metades
  • alguns ramos de tomilho
  • 3 dentes de alho inteiros
  • 1 colher (sopa) vinagre balsâmico
  • 1 mão cheia de folhas de manjericão

Para o Borrego:

  • 1 entrecosto de borrego com 8 fileiras, bem aparado
  • 1 colher (sopa) azeite
  • 25g de manteiga
  • 4 dentes de alho esmagados com pele
  • alguns ramos de tomilho

Para a salada quente de feijão:

  • 200g de favas
  • 200g de ervilhas
  • 85g de feijão verde
  • 2 colheres (sopa) azeite
  • 2 cebolas, cortadas em rodelas finas
  • 1 pequena porção de amêndoas torradas, em lâminas

Para o molho:

  • 2 colheres (sopa) azeite
  • 1 colher (sopa) vinagre balsâmico

Confecção

Aqueça o forno a cerca de 200/220ºC.

Para os tomates, aqueça o azeite numa frigideira própria para forno (se você não tiver, use uma frigideira normal e transfira para uma assadeira antes de colocar no forno) e frite os tomates com as partes cortadas viradas para baixo.

Adicione o tomilho e o alho, e deixe cozinhar por 3 minutos até ficar mais colorido.

Vire os tomates, regue com o vinagre e, em seguida asse no forno por 20 minutos até ficarem macios e caramelizados.

Reserve.

Enquanto os tomates estão a assar, cozinhe o borrego.

Tempere a carne generosamente e aqueça o azeite e a manteiga noutra frigideira própria para forno.

Coloque o borrego, com a gordura virada para baixo, enrole os alhos junto com o tomilho e espalhe pela panela.

Deixe o borrego dourar e em seguida vire-o para dourar também do outro lado.

Pincele o borrego com o molho da bandeja, e em seguida, transfira para o forno por 10 minutos até o borrego ficar rosado.

Caso prefira mais bem cozido, dê-lhe mais 5 minutos de cozedura. Deixe o borrego num lugar quente e reserve.

Enquanto o borrego cozinha, prepare a salada de feijão.

Coloque uma panela grande de água com sal ao lume para ferver e cozinhe as favas durante alguns minutos.

Retire-as com uma escumadeira direto para uma tigela com água gelada, depois retire-lhes as peles e coloque numa tigela.

Ferva as ervilhas durante 2 minutos, adicione o feijão verde e deixe cozinhar ambos cerca de mais 1 minuto.

Drene, mergulhe em água gelada (isso mantém sua cor verde brilhante), deixe por 1 min a arrefecer e escorra novamente.

Aqueça o azeite numa frigideira, cozinhe rapidamente as cebolas por 1 min até começar a amolecer e a ganhar cor, em seguida, adicione as ervilhas e o feijão verde.

Cozinhe durante cerca de 1 minuto para aquecer bem, e em seguida, junte as amêndoas e as favas.

Espalhe o manjericão sobre os tomates, e reserve algumas folhas para usar na decoração.

Faça o molho batendo apenas o azeite junto com o vinagre.

Cortar o borrego em costeletas sobre uma placa com uma faca bem afiada. Agora o prato está pronto a servir.

Coloque a salada para um dos lados de cada prato.

Alinhe três metades de tomate para o outro lado do prato.

Coloque três costeletas em cima da salada, ligeiramente sobrepostas, com os ossos apontados para a mesma direção.

Regue com o molho em volta do prato e espalhe as folhas de manjericão sobre os tomates.

 

 

4 Comentários

  1. Pensava que:
    – a Limpidez do Visual referia-se a uma característica que definia a ausência ou não de partículas em suspensão, desde o Brilhante até ao Velado.
    – a Limpidez do Olfato provinha de um exame que determinava a complexidade dos aromas de um vinho.
    Então devo concluir que a Ficha de Avaliação de Vinhos acima apresentada, não corresponde à prática da degustação, mas sim com algo que um simples apreciador de vinhos como eu desconhece.
    Agradecido pela sua atenção!

    1. O que refere é puramente verdade; simplesmente tento por vezes explicar as coisas de forma mais simples possível, visto que nem todos t^m este nível de conhecimentos como por exemplo o seu ou o meu caso.

      A ficha OIV corresponde efetivamente à minha sequência de prova e assim é seguida. É colocada até para acrescentar transparência aos meus critérios.

      80% dos consumidores de vinho desconhecem estas características e por vezes é difícil arranjar palavras que permitam de forma simples esclarecer os simples consumidores.

      Um vinho como este é ainda relativamente jovem e apenas após algumas agitações, especialmente nos casos de olfacto e paladar ele se começa a revelar mais e mais complexo. Dentro de por exemplo mais 5, 6 anos, estará totalmente diferente, e sendo de 2013, muito melhor que agora. Ainda irá evoluir

      Cumprimentos, Jorge Cipriano

  2. A limpidez não é o setor mais forte deste vinho.

    1. O fator limpidez, de acordo com normas OIV, não está relacionada com côr ou transparência . Tem a ver com alguma linearidade da característica . Agradeço todavia o seu comentário.

Deixe o seu comentário