Vinho Verde Vinhos Wines

Vinho Verde – Castas

Alvarinho

Casta cultivada particularmente na sub-região de Monção e Melgaço, mas que dada a sua elevada qualidade tem sido levada para outros pontos da região e do país. Produz mostos muito ricos em açúcares e, contudo, apresenta um bom teor em ácidos orgânicos. O vinho elementar caracteriza-se por uma cor intensa, palha, com reflexos citrinos, aroma intenso, distinto e complexo, que vai desde o marmelo, pêssego, banana, limão, maracujá e líchia (caráter frutado), a flor de laranjeira e violeta (caráter floral), a avelã e noz (caráter amendoado) e a mel (caráter caramelizado), sendo o sabor complexo, macio, redondo, harmonioso, encorpado e persistente.

Castas Brancas

Castas Tintas

Principais

Outras

Principais

Outras

Alvarinho Pintosa Amaral (Azal Tinto) Doçal
Avesso Cainho de Moreira Borraçal Doçal de Refóios
Azal Cascal Alvarelhão (Brancelho) Espadeiro Mole
Batoca Tália (Douradinha) Espadeiro Labrusco
Loureiro Esganinho Padeiro Mourisco
Arinto (Pedernã) Sercial (Esgana-Cão) Pedral Pical Pôlho
Trajadura Esganoso Rabo-de-Anho (Rabo-de-Ovelha) Sousão
Fernão-Pires (Maria-Gomes) Vinhão Verdelho Tinto
Lameiro
Rabigato
S. Mamede
Semilão

Alvarinho Casta cultivada particularmente na sub-região de Monção e Melgaço, mas que dada a sua elevada qualidade tem sido levada para outros pontos da região e do país. Produz mostos muito ricos em açúcares e, contudo, apresenta um bom teor em ácidos orgânicos. O vinho elementar caracteriza-se por uma cor intensa, palha, com reflexos citrinos, aroma intenso, distinto e complexo, que vai desde o marmelo, pêssego, banana, limão, maracujá e líchia (caráter frutado), a flor de laranjeira e violeta (caráter floral), a avelã e noz (caráter amendoado) e a mel (caráter caramelizado), sendo o sabor complexo, macio, redondo, harmonioso, encorpado e persistente.
Alvarinho
Casta cultivada particularmente na sub-região de Monção e Melgaço, mas que dada a sua elevada qualidade tem sido levada para outros pontos da região e do país. Produz mostos muito ricos em açúcares e, contudo, apresenta um bom teor em ácidos orgânicos. O vinho elementar caracteriza-se por uma cor intensa, palha, com reflexos citrinos, aroma intenso, distinto e complexo, que vai desde o marmelo, pêssego, banana, limão, maracujá e líchia (caráter frutado), a flor de laranjeira e violeta (caráter floral), a avelã e noz (caráter amendoado) e a mel (caráter caramelizado), sendo o sabor complexo, macio, redondo, harmonioso, encorpado e persistente.

Avesso Casta branca de alta qualidade, recomendada nos concelhos de Baião, Cinfães e Resende, onde se limita a sua área de cultivo. Produtiva e rústica. Dá origem a vinhos com aroma e casta, harmoniosos e saborosos.
Avesso
Casta branca de alta qualidade, recomendada nos concelhos de Baião, Cinfães e Resende, onde se limita a sua área de cultivo. Produtiva e rústica. Dá origem a vinhos com aroma e casta, harmoniosos e saborosos.

Azal Casta branca de qualidade, recomendada nas Sub-Região de Basto, Penafiel e Amarante e nos concelhos mais a sul da Região Demarcada. Muito produtiva e rústica. Dá origem a vinhos de aroma delicado mas pouco intenso, ligeiramente acídulos e afrutados.
Azal
Casta branca de qualidade, recomendada nas Sub-Região de Basto, Penafiel e Amarante e nos concelhos mais a sul da Região Demarcada. Muito produtiva e rústica. Dá origem a vinhos de aroma delicado mas pouco intenso, ligeiramente acídulos e afrutados.

Batoca Casta branca de qualidade média, autorizada em quase toda a Região Demarcada com excepção das Sub-regiões de Monção, Lima e Amarante; muito produtiva, embora irregular dada a susceptibilidade a doenças criptogâmicas, e rústica; dá origem a vinhos com aroma sem destaque a casta, macios mas sem qualidade.
Batoca
Casta branca de qualidade média, autorizada em quase toda a Região Demarcada com excepção das Sub-regiões de Monção, Lima e Amarante; muito produtiva, embora irregular dada a susceptibilidade a doenças criptogâmicas, e rústica; dá origem a vinhos com aroma sem destaque a casta, macios mas sem qualidade.

Loureiro Casta branca de alta qualidade, recomendada em grande parte da Região Demarcada, com excepção das Sub-Regiões de Basto e Amarante e concelhos de Baião, Cinfães e Resende; de área de cultivo em grande expansão, é oriunda da Ribeira-Lima; muito produtiva; dá origem a vinhos com aroma acentuado a casta, harmoniosos e saborosos.
Loureiro
Casta branca de alta qualidade, recomendada em grande parte da Região Demarcada, com excepção das Sub-Regiões de Basto e Amarante e concelhos de Baião, Cinfães e Resende; de área de cultivo em grande expansão, é oriunda da Ribeira-Lima; muito produtiva; dá origem a vinhos com aroma acentuado a casta, harmoniosos e saborosos.

Arinto (Pedernã) Casta branca de qualidade, recomendada em toda a Região Demarcada com excepção da Sub-Região de Monção; de área de cultivo em grande expansão é oriunda da zona interior da Região muito produtiva; dá origem a vinhos com aroma a casta, equilibrados e harmoniosos.
Arinto (Pedernã)
Casta branca de qualidade, recomendada em toda a Região Demarcada com excepção da Sub-Região de Monção; de área de cultivo em grande expansão é oriunda da zona interior da Região muito produtiva; dá origem a vinhos com aroma a casta, equilibrados e harmoniosos.

Trajadura Casta branca de qualidade, recomendada em grande parte da Região Demarcada com excepção das Regiõesde Basto e Amarante e concelhos de Baião, Cinfães e Resende; de área de cultivo em grande expansão é oriunda da Sub-Região de Monção; produtiva; dá origem a vinhos com aroma delicado e pouco acentuado, saborosos, mas com tendência a vinhos desequilibrados.
Trajadura
Casta branca de qualidade, recomendada em grande parte da Região Demarcada com excepção das Regiõesde Basto e Amarante e concelhos de Baião, Cinfães e Resende; de área de cultivo em grande expansão é oriunda da Sub-Região de Monção; produtiva; dá origem a vinhos com aroma delicado e pouco acentuado, saborosos, mas com tendência a vinhos desequilibrados.

Amaral (Azal Tinto) Casta tinta de qualidade, recomendada nos concelhos (6) mais a sul da Região Demarcada, onde é mais intensamente cultivada; pouco produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor vermelha rubi, com aroma sem destaque a casta, ligeiramente acídulos e encorpados.
Amaral (Azal Tinto)
Casta tinta de qualidade, recomendada nos concelhos (6) mais a sul da Região Demarcada, onde é mais intensamente cultivada; pouco produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor vermelha rubi, com aroma sem destaque a casta, ligeiramente acídulos e encorpados.

Borraçal Casta tinta de qualidade, recomendada em toda a Região Demarcada com excepção da Sub-Região de Monção, encontrando-se largamente disseminada; produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor vermelha rubi, com aroma a casta, equilibrados, harmoniosos e saborosos.
Borraçal
Casta tinta de qualidade, recomendada em toda a Região Demarcada com excepção da Sub-Região de Monção, encontrando-se largamente disseminada; produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor vermelha rubi, com aroma a casta, equilibrados, harmoniosos e saborosos.

Alvarelhão (Brancelho) Casta tinta de qualidade, recomendada na Sub-Região de Monção, onde é mais intensamente cultivada; pouco produtiva; dá origem a vinhos de cor rubi a rubi clara, com aroma delicado a casta, harmoniosos e saborosos.
Alvarelhão (Brancelho)
Casta tinta de qualidade, recomendada na Sub-Região de Monção, onde é mais intensamente cultivada; pouco produtiva; dá origem a vinhos de cor rubi a rubi clara, com aroma delicado a casta, harmoniosos e saborosos.

Espadeiro Casta tinta de qualidade, recomendada em grande parte da Região Demarcada, com excepção da Sub-Região de Monção e concelhos (6) mais a sul da Região; muito produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor rubi clara a rubi, de aroma e sabor a casta e acídulos.
Espadeiro
Casta tinta de qualidade, recomendada em grande parte da Região Demarcada, com excepção da Sub-Região de Monção e concelhos (6) mais a sul da Região; muito produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor rubi clara a rubi, de aroma e sabor a casta e acídulos.

Padeiro Casta tinta de qualidade média, autorizada em quase toda a Região Demarcada com excepção da Sub- Região de Monção e concelhos (6) mais a Sul da Região; muito produtiva; dá origem a vinhos de cor vermelha rubi a vermelha granada, de aroma e sabor a casta, harmoniosos e saborosos.
Padeiro
Casta tinta de qualidade média, autorizada em quase toda a Região Demarcada com excepção da Sub- Região de Monção e concelhos (6) mais a Sul da Região; muito produtiva; dá origem a vinhos de cor vermelha rubi a vermelha granada, de aroma e sabor a casta, harmoniosos e saborosos.

Pedral Casta tinta de qualidade, recomendada na Sub-Região de Monção, área onde se cultiva mais intensamente; produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor rubi clara a rubi, de aroma e sabor a casta e harmoniosos.
Pedral
Casta tinta de qualidade, recomendada na Sub-Região de Monção, área onde se cultiva mais intensamente; produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor rubi clara a rubi, de aroma e sabor a casta e harmoniosos.

Rabo-de-Anho (Rabo-de-Ovelha) Casta tinta de qualidade média, recomendada na Sub-Região de Basto, onde é cultivada mais intensamente e com representatividade; altamente produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor rubi e sem destaque de qualidade.
Rabo-de-Anho
Casta tinta de qualidade média, recomendada na Sub-Região de Basto, onde é cultivada mais intensamente e com representatividade; altamente produtiva e rústica; dá origem a vinhos de cor rubi e sem destaque de qualidade.

Vinhão Casta tinta de qualidade, recomendada em toda a Região Demarcada; como única casta regional tintureira é a mais expandida na Região; produtiva; dá origem a vinhos de cor vermelha granada, vinosos, encorpados, harmoniosos e saborosos.
Vinhão
Casta tinta de qualidade, recomendada em toda a Região Demarcada; como única casta regional tintureira é a mais expandida na Região; produtiva; dá origem a vinhos de cor vermelha granada, vinosos, encorpados, harmoniosos e saborosos.

1 Comentário

  1. …a atribuição do selo do Vinho Verde, deveria ser muito mais criteriosa, para securisar o consumidor final…pois existe muito vinho “tranquilo” a que se adiciona gás carbónico para se chamar V.Verde…e até existe adocicado e tambem rosé, com a denominação de V.Verde…daí, para mim a descredibilização, do selo de garantia !!

Deixe o seu comentário