Produtores Turismo Vinhos Vinhos do Tejo Wines

ADEGA COOPERATIVA DE ALMEIRIM – Uma Escolha de Ricardo Carriço

Ric Carrico AC Almeirim

Ric Carrico AC Almeirim
ZONA INDUSTRIAL
2081 – 901 ALMEIRIM, Portugal
TEL: +351 243 570 560
marketing@adegaalmeirim.pt

A Adega Cooperativa de Almeirim foi fundada em 1958, na cidade de Almeirim, região do Ribatejo. Cinquenta anos depois, é um dos maiores produtores de Portugal.

Com cerca de 2.000 hectares de vinha, a capacidade de produção ronda os 23 milhões de litros por ano. A qualidade dos vinhos foi sempre a principal motivação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Todos os investimentos realizados em tecnologia para produzir, armazenar e engarrafar os vinhos têm o objectivo de manter os mais elevados padrões de qualidade. Os vários prémios conquistados pelos nossos vinhos fazem pensar que se está no caminho certo.

As vinhas dos associados da Adega estão implantadas, na sua grande maioria, nas zonas do Campo, em solos que são muitas vezes alagados pelo Rio Tejo nos invernos mais rigorosos, e na zona da Charneca, constituída por solos de origem calcária e argilosa.

Castas Brancas predominantes

Fernão Pires, Tália, Trincadeira das Pratas, Moscatel.

Castas Tintas predominantes

Castelão (Periquita), Aragonês (Tinta Roriz), Trincadeira Preta, Syrah, Cabemet Sauvignon.

Breves Considerações

A Adega de Almeirim constitui-se hoje como a maior unidade do país, com uma produção média de 25 milhões de quilos de uvas.

Na última década, realizou alguns importantes projectos de modernização da sua estrutura produtiva, que a tornam hoje uma das mais bem equipadas adegas do país.

A capacidade de produção de vinhos de gama média e média alta tem sustentabilidade nos mais modernos processos de produção e na sua capacidade de estágio em barricas de carvalho francês e americano, que, em cerca de 2 centenas, são renovadas regularmente de forma a manter um elevado padrão qualitativo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Todos os vinhos são fermentados com temperaturas controladas por uma moderna rede de frio com cerca de 3 milhões de frigorias, capaz de assegurar as melhores temperaturas de fermentação para cada casta e tipo de vinho e também a estabilidade tartárica de alguns vinhos antes do seu engarrafamento.

A Adega conta com um laboratório plenamente equipado, dirigido pelos enólogos Eng.º Romeu Gonçalves e Eng.º António Ventura.

As castas tradicionais do Ribatejo são a Periquita (ou Castelão francês), Trincadeira Preta e Castelão Nacional (Camarate). Outras castas de alguma importância são a Baga, Tinta Miúda e Cabernet Sauvignon. Nas castas brancas, a predominante é a Fernão Pires, acompanhada pela Tricadeira das Pratas, Arinto, Rabo de Ovelha.

O Ribatejo, embora seja uma das regiões que mais contribui para a produção nacional, só em 1998 foi reconhecido como Denominação de Origem Controlada.