Estremadura Vinhos Vinhos de Lisboa Wines

Quinta do Monte d’Oiro

LOGO QMO
Quinta do Monte d’Oiro Freixial de Cima | 2580-404 Ventosa ALENQUER T: +351 263 766 060 | F: +351 263 766 069 geral@quintadomontedoiro.com
Quinta do Monte d’Oiro Freixial de Cima | 2580-404 Ventosa ALENQUER
T: +351 263 766 060 | F: +351 263 766 069
geral@quintadomontedoiro.com

Localizada na Estremadura, na região de Alenquer, a Quinta do Monte d’Oiro é conhecida desde o séc. XVII como um local privilegiado para a produção de grandes vinhos.

Os vinhos, elaborados maioritariamente com as castas Syrah, Viognier e Touriga Nacional, sob a orientação técnica de Graça Gonçalves e Grégory Viennois, reconhecido enólogo das Côtes du Rhône, têm recebido, desde a primeira colheita, os maiores encómios da crítica especializada, estando presentes em importantes mercados internacionais (UE, EUA, Brasil, China, Angola) e nas Cartas de Vinhos de alguns dos mais famosos restaurantes do mundo.

O objectivo do produtor José Bento dos Santos é a elaboração de vinhos de alta qualidade de estilo europeu, respeitando as qualidades e as mensagens do terroir existente – uma combinação única e irrepetível de solos e clima.

José Bento dos Santos, engenheiro químico apaixonado pelo mundo do vinho e da gastronomia, é Presidente da Academia Internacional de Gastronomia, Conselheiro Gastronómico da Chaîne des Rôtisseurs, membro da Académie des Psychologues du Goût e foi condecorado pelo Presidente da República Portuguesa e pelo Ministro francês da Agricultura.

JBSVV2

Os vinhos da Quinta do Monte d’Oiro têm um grande sentido gastronómico. São vinhos com uma identidade e alma próprias: profundos, minerais, densos, personalizados e com um perfil eminentemente talhado para acompanhar em perfeita harmonia uma culinária rigorosamente elaborada – pratos de genuína cozinha regional, cozinha clássica ou alta cozinha.

Para atingir estes propósitos, foram plantadas as castas mais adequadas às condições ecológicas da Quinta – Syrah, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Petit Verdot, Cinsaut e Viognier – actuando-se com o máximo rigor e eficácia em todas as fases da produção (a cargo da enóloga Graça Gonçalves com o apoio técnico de Grégory Viennois, Director Técnico da Maison M. Chapoutier). Assim, para além de ter sido privilegiado o desenvolvimento vegetativo das videiras, o tratamento da vinha é muito exigente e praticam-se rendimentos de produção por hectare muito baixos através de podas severas e mondas de cachos significativas.

A área de vinha totaliza neste momento 42 hectares, que produz uma média anual a rondar os 70000 L, o que diz bem da forte aposta na qualidade em deterimento de rendimentos de produção elevados.

A vindima é feita à mão para caixas de 15 kg (por forma às uvas chegarem intactas à adega) e a vinificação, que decorre separadamente por casta e por parcela, é extremamente cuidada com controlo rigoroso e individual da temperatura dos mostos. Utilizam-se ainda as melhores barricas novas de carvalho francês em estágios prolongados (12 a 24 meses).

Esta filosofia garante um resultado que se tem vindo a revelar, ao longo dos anos, excelente e consistente. De facto, colheita após colheita os diversos vinhos da Quinta do Monte d’Oiro têm recebido o apoio encomiástico da crítica e do público em Portugal e no estrangeiro, estando presentes em importantes mercados internacionais (como Espanha, França, Reino Unido, Holanda, E.U.A., Canadá, Brasil, Angola e China) e nas Cartas de Vinhos de alguns dos mais famosos restaurantes europeus e americanos. Está também a ser desenvolvida a vertente gastronómica e enoturística do projecto vitivinícola da Quinta do Monte d’Oiro através da exploração das novas instalações (Adegas, Sala de Provas, Cozinha “Maestro” e Sala de Refeições) para a realização das acções de marketing da empresa e eventos gastronómicos de excelência para grupos exclusivos.
Existe a preocupação de produzir uva com rendimentos baixos rendimentos de produção incrementando a qualidade enológica que se pretende dos vinhos. A partir da colheita de 2006 passaram a existir duas famílias de vinhos: Família Quinta do Monte d’Oiro e a Família Originals de José Bento dos Santos, vinhos da autoria do produtor.

QUEM É O SR. ENGº JOSÉ BENTO DOS SANTOS?

José Manuel Bento dos Santos é engenheiro Químico Industrial pelo Instituto Superior Técnico (IST) desde 1970. Iniciou a sua carreira profissional no Barreiro como quadro da CUF, essa grande escola de engenharia e de gestão. De Chefe de Produção da Metalurgia do Cobre passou, ao fim de poucos anos, para Director do Marketing de Metais tendo, nessas funções, corrido mundo. Foi docente universitário regendo as cadeiras de Metalurgia e de Gestão de Empresas. Fez par te do Conselho de Administração de várias empresas e, em 1981, fundou a Quimibro, uma empresa broker de metais única no género em Portugal e líder de mercado.

Particularmente é uma honra conhecer o Sr. Engº Bento dos Santos e asseguro que é alguém, além do grande conhecimento que possui e faz questão de partilhar tudo o que sabe. De trato fácil, sem as grandezas de celebridade que é. Em suma, é alguém muito simples e com quem se pode conversar abertamente.
Particularmente é uma honra conhecer o Sr. Engº Bento dos Santos e asseguro que é alguém, além do grande conhecimento que possui e faz questão de partilhar tudo o que sabe. De trato fácil, sem as grandezas de celebridade que é. Em suma, é alguém muito simples e com quem se pode conversar abertamente.

A partir de 1990, deu início ao ambicioso projecto vitivinícola da sua Quinta do Monte d’Oiro, em Alenquer, de onde, logo desde a primeira colheita (1997), têm saído vinhos de grande gabarito e prestígio nacional e internacional.

Desde muito cedo que foi notório o seu profundo interesse pelo sentido do gosto, dedicando-se toda a vida ao culto aprofundado da gastronomia e da própria culinária, e aplicou os seus conhecimentos à descoberta das harmonias perfeitas entre o vinho e a comida. Nas suas contínuas viagens teve a oportunidade de frequentar os mais famosos restaurantes e de contactar e praticar com grandes cozinheiros de todo o mundo. Ao mesmo tempo teve o privilégio de conhecer e provar os vinhos mais requintados. Iniciou a sua colecção de vinhos há mais de 30 anos, participando activamente nos leilões do Christhie’s ou da Sotheby’s e ainda através do contacto directo com alguns dos mais reconhecidos produtores mundiais.

É Vice-Presidente da Academia Internacional de Gastronomia, Conselheiro Gastronómico da Chaîne des Rôtisseurs, Cavaleiro da Confraria do Vinho Porto, membro da Académie des Psycologues du Goût , Cheval ier des Entonneurs Rabelaisiens e Cheval ier du Tastevin. Recebeu da Presidência da República Portuguesa o grau de Comendador da Ordem de Mérito Agrícola (2006) e foi condecorado pelo Ministro francês para a Agricultura e Pescas (2007). Em 2008, recebe o mais elevado reconhecimento da Chaîne des Rôtisseurs (a Medaille d’Or ) e ainda, do Ministério da Economia e Inovação, a Medalha de Mérito Turístico.

ENGJBS3334
É autor dos livros “Subtilezas Gastronómicas – receitas à volta de um vinho” (Assírio & Alvim, 2005) – inspirado no primeiro vinho branco da Quinta do Monte d’Oi ro –, “O Sentido do Gosto” (Livros d’Hoje, 2008) e “Allgarve Gourmet ” (Prime Books, 2008), publicando ainda artigos regulares sobre gastronomia e vinhos em revistas da especial idade e outros meios de comunicação. Profere diversas conferências sobre estas temáticas no país e no estrangeiro e foi o docente responsável pelo seminário “O Sentido do Gosto” destinado aos alunos do Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura do IST.

Foi igualmente autor e apresentador de duas séries televisivas de vários episódios sobre os temas do vinho e da gastronomia: “Segredos do Vinho” (SIC, 2004) e “O Sentido do Gosto” (RTP, 2007-2009).