Lojas do Produtor Produtores Turismo Vinhos Vinhos do Tejo Wines

QUINTA DO CASAL DA COELHEIRA

A aliança entre a tradição e a modernidade tem sido a chave da estratégia. Os princípios tradicionais de vinificação aperfeiçoados com a tecnologia enológica mais avançada, originam vinhos que vão ao encontro do consumidor actual mais exigente.
CENTRO AGRICOLA DE TRAMAGAL, SAG, LDA ESTRADA NACIONAL 118, Nº1331 2205-645 TRAMAGAL PORTUGAL TELEFONE - 241897219 FAX - 241897802 EMAIL - geral@casaldacoelheira.pt HORARIO De segunda a sexta 9:00 - 12:30 e 14:00 - 18:30 sábado 9:00 - 12:30
CENTRO AGRICOLA DE TRAMAGAL, SAG, LDA
ESTRADA NACIONAL 118, Nº1331
2205-645 TRAMAGAL
PORTUGAL
TELEFONE – 241897219
FAX – 241897802
EMAIL – geral@casaldacoelheira.pt
HORARIO
De segunda a sexta
9:00 – 12:30 e 14:00 – 18:30
sábado
9:00 – 12:30

 

A QUINTA

Quinta do Casal da Coelheira está localizada no concelho de Abrantes na freguesia de Tramagal, junto ao rio Tejo que suavemente banha o vale dos seus Terraços que emprestam o nome a uma das marcas, o "Terraços do Tejo". A Quinta tem largas tradições no cultivo da vinha e na produção de vinho. Foi, no entanto, no final da década de oitenta que, sem deixar de preservar e melhorar os bons métodos tradicionais, e tendo em vista as exigências dos mercados, se introduziram modernas tecnologias e aplicaram novos e evoluídos conceitos tecnológicos.
Quinta do Casal da Coelheira está localizada no concelho de Abrantes na freguesia de Tramagal, junto ao rio Tejo que suavemente banha o vale dos seus Terraços que emprestam o nome a uma das marcas, o “Terraços do Tejo”. A Quinta tem largas tradições no cultivo da vinha e na produção de vinho. Foi, no entanto, no final da década de oitenta que, sem deixar de preservar e melhorar os bons métodos tradicionais, e tendo em vista as exigências dos mercados, se introduziram modernas tecnologias e aplicaram novos e evoluídos conceitos tecnológicos.
A Quinta do Casal da Coelheira estende-se por cerca de 250 hectares, distribuídos por várias culturas com destaque especial na área da vinha. Existe ainda produção de culturas arvenses (milho e trigo) e horto-industriais com predominância da beterraba açucareira. A quinta possui também uma área de floresta com cerca de 25 hectares e um olival com uma área pouco expressiva.
A Quinta do Casal da Coelheira estende-se por cerca de 250 hectares, distribuídos por várias culturas com destaque especial na área da vinha. Existe ainda produção de culturas arvenses (milho e trigo) e horto-industriais com predominância da beterraba açucareira. A quinta possui também uma área de floresta com cerca de 25 hectares e um olival com uma área pouco expressiva.

 

A diversidade paisagística da exploração tem permitido a permanência de algumas espécies cinegéticas, naturalmente e especialmente o coelho (associado ao nome da quinta), mas também a lebre, a perdiz, a codorniz, o pato bravo e o javali.
A diversidade paisagística da exploração tem permitido a permanência de algumas espécies cinegéticas, naturalmente e especialmente o coelho (associado ao nome da quinta), mas também a lebre, a perdiz, a codorniz, o pato bravo e o javali.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

A ADEGA

 

A aliança entre a tradição e a modernidade tem sido a chave da estratégia. Os princípios tradicionais de vinificação aperfeiçoados com a tecnologia enológica mais avançada, originam vinhos que vão ao encontro do consumidor actual mais exigente.
A aliança entre a tradição e a modernidade tem sido a chave da estratégia. Os princípios tradicionais de vinificação aperfeiçoados com a tecnologia enológica mais avançada, originam vinhos que vão ao encontro do consumidor actual mais exigente.
A adega data do primeiro terço do século passado, com a arquitectura tradicional do Ribatejo e o enquadramento de um bonito e agradável pátio interior.
A adega data do primeiro terço do século passado, com a arquitectura tradicional do Ribatejo e o enquadramento de um bonito e agradável pátio interior.

Enquanto os depósitos de cimento originais eram mantidos e beneficiados, a capacidade de vinificação e estágio foi aumentada com a introdução de cubas e lagares de inox com temperaturas controladas barricas de madeira nova das melhores origens onde vão repousar (estágio) os vinhos criteriosamente seleccionados.

O sistema de vinificação é escolhido em função de cada casta e das suas características, de forma a potenciar o máximo das qualidades de cada uma. Os vinhos são mantidos separados por casta, até o enólogo decidir qual a combinação perfeita para cada um dos vinhos que produzem.

AS VINHAS

As vinhas ocupam uma área de 64 ha, em terrenos maioritariamente arenosos. Produções controladas para baixas quantidades, por forma a atingir uma maior concentração e essência do fruto. A maturação ocorre entre meados de Agosto e fins de Setembro.

Actualmente a idade das vinhas está compreendida entre 1 e 35 anos, não se atingindo por isso o potencial máximo de todas as parcelas. O encepamento é diversificado com especial destaque para as castas nacionais de maior potencial qualitativo, mas não esquecendo as internacionais de grande referência. As castas brancas existentes são: Fernão Pires (casta tipicamente ribatejana), Arinto, Chardonnay, Malvasia e Tamarês, enquanto que nas tintas temos a Touriga Nacional, Touriga Franca, Alicante Bouchet, Aragonês, Trincadeira, Castelão, Cabernet Sauvignon e Syrah.

PORTEFÓLIO E ALGUNS PRÉMIOS

 

4 Comentários

      1. É muito importante para o Clube de Vinhos Portugueses que os seus artigos informam e agradam aos seus leitores. Cumprimentos. Jorge Cipriano

Deixe o seu comentário