Eventos Turismo Vinhos Wines

Beira Interior – Vinhos e Sabores 2015: Balanço e galeria de fotos

LOGO BIVS BALANCO2

LOGO BIVS BALANCO2

APOIOS

CVR BEIRA INTERIOR
CVR BEIRA INTERIOR
 

CM PINHEL
CM PINHEL

TURISMO RURAL
TURISMO RURAL

Pode-se dizer textualmente e com todas as palavras. PARA PRIMEIRA VEZ NÃO ESTÁ NADA MAL!

Com os anfitriões

Uma zona remota, meio pequeno e com grande enchente. Diz muito do que é o exemplo de duas entidades trabalharem em conjunto e tudo resultar plenamente. a Câmara de Pinhel e Comissão Vitivinícola da Beira Interior estão de parabéns. Tudo esteve articulado, funcional, preparados para imprevistos, alguns pronto-socorros é certo e natural, mas tenho a certeza que daqui em diante tudo será sempre uma melhoria contínua.

Não, não irei particularizar ninguém, produtor nem nada. Todos colocaram aqui o seu esforço. Todos mostraram o muito que a região vale e merece ser conhecida. Até onde fiquei alojado, a unidade Encostas do Côa!

Contudo há 3 pontos a realçar. Sim, a região é tremendamente talhada e vocacionada para espumantes de qualidade! Principalmente de zonas granítico-xistosas que introduzem características minerais muito próprias e se refletem essencialmente na excelente acidez e frescura, e sem grande esforço aqui se conseguem espumantes minimamente aceitáveis.

Para mim e sem ordenar, destaco o Rosé da Quinta do Cardo feito só com Touriga Nacional, e os dois brancos Chardonnay, um das Casas Altas outro dos Vinhos Almeida Garrett. Todos sumptuosos e excecionais.

Sim. Os brancos são em média todos muito bons. Sempre muito vivos e frescos, leves, aromáticos, onde a casta Síria cada vez mais marca a diferença. Destaques para o Síria da Terras do Marechal, o Alpedrinha da Adega do Fundão e o Pombo Bravo da Cova da Raposa. Estes dois últimos têm uma grande qualidade a um preço muito atrativo. Ambos abaixo dos 3€, o que surpreende ainda mais.

No que concerne aos tintos, temos muito à escolha, e tudo acima da média. Entre frescura e notas redondas, tudo se encontra. A altitude em muito beneficia, especialmente a esterilização natural durante a estação mais fria e a maturação plena em fases de estio. Destaques para o Grande Escolha da Quinta do Cardo, o Talhão da Serra feito com Rufete da Quinta dos Termos e “sem querer” volto ao Pombo Bravo Tinto pelo seu tremendo RQP! Muito bom mesmo.

Entretanto antes, durante e depois, foram visitados os produtores Cooperativa Beira Serra (Vila Franca das Naves), Terras do Marechal (Pinhel), Quinta do Cardo (Figueira de Castelo Rodrigo) e Adega do Fundão.

Deixo por fim, antes das fotos uma palavra de apreço ao Engº Rodolfo Queirós (CVR Beira Interior) e Francisco Afonso (CM Pinhel) por me terem convidado, e aos Srs. José e Vitor Fernandes da unidade Encostas do Côa por me terem efetivamente feito sentir mais do que em casa. De tal forma que me faltam os meus adjetivos. Bem hajam todos.

1 Comentário

Deixe o seu comentário