2018 2018 Notas de Prova Os melhores Rankings Vinhos Vinhos Tintos Wines

Conde de Ourém Tinto 2014

apreciacao Conde de Ourém Tinto 2014

Conde de Ourém Tinto 2014

Foi provado o vinho Conde de Ourém Tinto 2014, produzido na Região de Vinhos de Lisboa.

Para harmonizar, trazemos um prato minhoto de Arroz de Pato à Moda de Braga.

A origem deste prato que parece passar despercebida ao paladar dos mais desatentos, poderá estar na origem de um senhor bracarense .

Emigrou para o Brasil e começou a fazer o prato no seu restaurante, muito comum em terras lusitanas – o arroz de pato.

Ao escolhermos este prato de Arroz de Braga à moda de Braga para acompanhar o Conde de Ourém Tinto 2014, contrariamos também o paradigma dos pratos terem que combinar com vinhos da mesma região !


Dados Sobre o Vinho

REGIÃO: Lisboa
PRODUTOR: DIVINIS – Adega de Ourém
CASTAS: Castelão (95%)
ÁLCOOL: 13,5º

Clima: Atlântico-Continental
Solo: Argilo-calcário
Denominação: DOC Encostas de Aire

Notas de Prova

  • ASPETO: cor granada opaca ligeira.
  • AROMA: Apresenta notas de frutos secos, alguma tosta, algumas marcas balsâmicas, farmácia e nuances de frutos vermelhos bem maduros, cereja e ginja.
  • BOCA: Acidez viva, vinho fresco, taninos domados, redondos, vinho suave e atrativo, de bom volume e estrutura. Muito bom equilíbrio.
  • FINAL: Termina com médio comprimento.

Classificação: 81

ficha Conde de Ourém Tinto 2014

Temperatura de Serviço: 17ºC


Harmonização (Wine Pairing)

Para um prato bem temperado, com uma carne intensa como pato, combina bem um vinho taninoso, vivo de acidez e de corpo médio.


Receita

Arroz de Pato à Moda de Braga – Prato minhoto

Arroz de Pato à Moda de Braga_burned

Ingredientes (Para 6 pessoas)

  • 1 pato;
  • 500 g de arroz;
  • 250 g de presunto;
  • 1 chouriço de carne;
  • 1/2 orelha de porco;
  • 1 colher de sopa de manteiga;
  • 1 ramo de salsa;
  • 1 limão;
  • 1 cravinho;
  • sal marinho
  • pimenta.

Confecção:

Arranja-se o pato e a orelha de porco e leva-se ao lume em água abundante temperada com sal e pimenta, juntamente com o presunto, o chouriço, a salsa e o cravinho.

Retira-se a espuma que se forma no início da cozedura.

Quando as carnes estiverem bem cozidas, mas sem se desmanchar o pato, retiram-se e deixa-se arrefecer o caldo.

Com uma colher, tira-se parte da gordura que se forma à superfície do caldo e côa-se.

Mede-se o arroz depois de lavado e enxuto.

Numa panela deita-se o caldo (duas vezes o volume do arroz) e assim que ferver junta-se o arroz e o sumo de limão e rectificam-se os temperos.

Deixa-se abrir um pouco o arroz.

Muda-se para um alguidar de barro achatado, típico da região, e leva-se a forno bem quente.

Quando o caldo tiver desaparecido, enterra-se o pato no arroz, previamente barrado com a manteiga, e deixa-se acabar de cozer o arroz e alourar.

Antes de servir, trincha-se o pato, retirando-lhe os ossos e cortando a carne em fatias.

Corta-se também o presunto e a orelha de porco em bocados e o chouriço em rodelas.

Dispõem-se as carnes alternadas sobre o arroz.

Serve-se bem quente, podendo envolver-se o alguidar numa toalha de linho e acompanha-se com laranjas cortadas às rodelas ou aos gomos.


Ficheiro para download

Arroz de Pato à Moda de Braga – PDF

 

Deixe o seu comentário