Gastronomia Sabores de Portugal Vinhos Wines

Sabores de Portugal – Percebes ou Perceves

Veja aqui !

O Percebe ou Perceve, é das espécies de crustáceo mais apreciada verdadeira iguaria na Península Ibérica, sendo especialmente típica entre o litoral de Portugal e o da Galiza.

aljezur2
A espécie, de nome científico Pollicipes pollicipes, distribui-se com naturalidade nas costas rochosas desde o Nordeste do Oceano Atlântico, no Canal da Mancha, passando pelas Canárias até Cabo Verde.


Próximo dia 10/02 disponível. Inscreva-se aqui !
Próximo dia 10/02 disponível. Inscreva-se aqui !

Como Preparar !

Ingredientes:

  • 1/2 Kg percebes da Costa Vicentina e do Sudoeste Algarvio
  • 1 1/2L água do mar sem poluição

Lavar bem as percebes ou perceves, depois colocá-las em água fria, levar ao lume e quando levantar fervura contar 2 minutos, posteriormente, escorre-las bem e servi-las frias.

Vinhos Recomendados


Percebes_Aljezur

Tem outras sub-espécies em outros pontos do globo distintos. Pollicipes polymerus da costa oeste da América do Norte, e Pollicipes elegans, da costa do Chile.

A difícil arte de captura de percebes


Próximo dia 10/02 disponível. Inscreva-se aqui !

Próximo dia 10/02 disponível. Inscreva-se aqui !


Pollicipes pollicipes é uma espécie hermafrodita protândrica, para a qual alguns autores sugerem que o modo de fecundação preferencial é a reprodução por fecundação cruzada, processo em que um indivíduo troca gametas com outro, ao invés de se autofecundar.

PICT0464
Alimentam-se por filtragem, nutrindo-se das partículas que conseguem coletar com seus cirros. Esses cirros possuem uma intrincada estrutura ciliar, permitindo que o P. pollicipes tenha uma dieta variada, incluindo diatomáceas, detritos, crustáceos, copépodes, camarões e moluscos.


Fonte das imagens de pratos de percebes

5 Comentários

  1. Os meus percebes ou perceves que nunca percebi como se diz corretamente, são afinal os pollicipes pollicipes. Para sorrir encontrei um restaurante que além dos percebes os chama de “understands”. En inglês não há dúvidas!!
    Obrigado pelo artigo e abraço,
    Pedro Fidalgo

Deixe o seu comentário