Beira Interior Vinhos

QUINTA DOS BARREIROS – VINHOS GRAVATO

logo1_smallQta dos Barreiros qta barreiros placa1

Mêda

6430-051 Coriscada

Portugal

Fax: +351 22 6164379

LUIS ROBOREDO

Telf. +351 919110502

Email: gravatoqb@hotmail.com

vasco_santana2Certo dia em conversa com o meu amigo o Sr. Luís Roboredo foi-me dado ao conhecimento da existência de um vinho palhete engarrafado. Lá dizia o Vasco Santana no furinho da parede do líquido que jorrada: “é palhete”.

Como diria São Tomé é ver para crer. No caso experimentar. E assim me desloquei de metropolitano e fui ao local certo: a Garrafeira Nacional ali na rua de Santa Justa e trouxe o Gravato Palhete 2005 e o Gravato Tinto 2004.

E que bem que me souberam. O palhete acompanhou uma estrondosa “Pizza del Amore” confeccionado pelo meu amigo italiano, o Aldo Monronni do Tratto Fino o tinto acompanhou um óptimo coelho confeccionado por outro grande amigo meu o Sr. Teixeira, que apesar de ter uma pequena e singela churrasqueira, confeccionou-me por encomenda um belíssimo coelho feito à moda da sua terra, Monção!

avelazeira

Falando agora da casa propriamente dita, tenho que dar os meus parabéns à casa governada pela família desta casa, dada a grande originalidade e diferença que marca o seu palhete. Quem diria que uma conjugação duma castas tintas (Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca e Rufete) com uma branca (Síria) daria um resultado destes.

A reter as respectivas notas de prova:

gravato

Gravato Tinto 2004 feito com Touriga Nacional: Nariz redondo com notas de frutos secos e anis. Na boca algum anisado intenso, com “prailines”, fruta doce e taninos fortes e angulosos. Acidez correcta marcando final fresco e persistente.

Gravato Palhete muito limpo no aroma, ligeira presença cítrica, alguns toques de morango e frutos silvestres. Fruto de qualidade na boca, com toque de cereja, volumoso mas fresco, um palhete fino e bem conseguido.

Métodos de produção

O Gravato Palhete é vinificado na adega da Quinta dos Barreiros, situada na região de Mêda, a partir de uma mistura de uvas brancas (Rabisgato) e de uvas tintas (Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca e Rufete) provenientes de vinhas velhas (50 anos) da vinha da Coriscada.

palhete2004

Após desengace total e suave esmagamento procedeu-se à sua fermentação e ligeira maceração por remontagem em cuba de aço inox a temperatura controlada de 22ºC durante cerca de 3 dias, por forma a limitar a extracção fenólica e potenciar a fruta.

Após fermentação maloláctica o vinho estagiou em cuba de aço inox a temperatura controlada, foi filtrado e engarrafado.

Após engarrafamento seguiu-se um estágio em garrafa a temperatura controlada de 15ºC durante cerca de 3 meses, a fim de se atingir o bouquet e o equilíbrio adequado para o seu consumo.

O Gravato Tinto é também vinificado na adega na Quinta dos Barreiros, é um vinho feito a partir de uvas seleccionadas cuidadosamente dos melhores talhões da casta Touriga Nacional.
tinto2004
Após desengace total e suave esmagamento processou-se a maceração e remontagem em cubas de aço inox a uma temperatura controlada de 28º. Seguiu-se uma maceração pós-fermentativa de 8 dias, para aumentar a extracção aromática e polifenólica. Quando se atingiu o equilíbrio organoléptico pretendido, procedeu-se à separação do vinho de gota e à suave prensagem das massas, obtendo-se um vinho de prensa de grande qualidade, sendo uma dada proporção deste inserida no vinho de gota.

adega antiga

Após fermentação maloláctica o vinho estagiou durante cerca de um ano onde a sua qualidade organoléptica foi apurada para o engarrafamento. Após engarrafamento seguiu-se um estágio em garrafa a temperatura controlada de 15ºC durante cerca de 6 meses, a fim de se atingir o bouquet e o equilíbrio adequado para o seu consumo. Para preservar a sua grande qualidade, o vinho foi engarrafado sem tratamento pelo frio pelo que se pode formar um ligeiro depósito durante o estágio em garrafa.

adega 065
Há como missão não só a manutenção do romantismo do vinho mas também a preservação do meio ambiente. Por isso é uma questão de utilizar rolhas de cortiça, pela conservação dos animais do montado e também de todos os outros que estão ligados à viticultura, directa ou indirectamente. Não é então estranha a presença de perdizes, raposas e muitos outros animais pelas imediações vinhas. Deste modo espera-se que cada vez mais as pessoas consigam desfrutar não só de um bom vinho mas também da presença dos animais e da preservação dos habitats  naturais.

abril 09 050 arranjjaneiro qta

qtbarreiro_paisagem

FONTE: site dos vinhos Gravato

2 Comentários

Deixe o seu comentário