Vinhos

CHEGOU BARCA-VELHA 2011 – A 20ª COLHEITA DO MÍTICO VINHO DO DOURO

unnamed

Depois do tão aguardado anúncio, é chegado o momento de Casa Ferreirinha Barca-Velha 2011 ver a luz do dia. A nova colheita do mais mítico vinho do Douro chega agora ao mercado, marcando mais um capítulo de uma história com quase 70 anos.

Barca-Velha é muito mais do que um vinho, muito mais do que uma marca. A sua história conta-se e reconta-se, numa eterna busca pela perfeição que acontece não quando o homem quer, mas quando a natureza entende. Já desde a década de 40 que Fernando Nicolau de Almeida idealizava um vinho tinto do Douro assente na mesma filosofia de qualidade e de guarda dos Portos Vintage. E assim foi! Fruto de um sonho e nascido de um rasgo de pioneirismo e inovação para a época, as 20 colheitas lançadas entre 1952 e 2011 privilegiam um mesmo denominador comum: a combinação entre qualidade máxima e tempo. A arte de saber esperar!
Uma vez engarrafado o vinho, a superação ao teste do tempo permitiu lançar este Barca-Velha 2011 com a mesma certeza dos seus antecessores, contribuindo de forma decisiva para a equação o extraordinário ano de 2011, “um dos melhores de sempre no Douro” para o enólogo Luís Sottomayor, que desde 2007 lidera a equipa de enologia da Casa Ferreirinha.
Para Fernando da Cunha Guedes, Presidente da Sogrape, este é mais um lançamento com enorme carga emocional, “pela viagem que este vinho propõe e pela ansiedade de desvendar e saborear a obra resultante de tão longa espera”. Até hoje, passaram-se nove anos desde a vindima excecional de 2011 na Quinta da Leda, berço deste vinho. Nove anos que, nas palavras de Luís Sottomayor, reforçam que “o vinho é que manda”“Esta é uma decisão puramente enológica, cem por cento alheia a pressas ou pressões”.
Casa Ferreirinha Barca-Velha 2011 define-se, nas palavras do seu atual criador, “como um leão, nobre e valente. Um vinho cheio de garra, que se doma a si próprio. Reflete na perfeição o terroir do Douro Superior e uma notável maturidade só ao alcance de alguns vinhos”.
Casa Ferreirinha Barca Velha 2011, a 20ª edição de um dos mais emblemáticos vinhos portugueses, chega ao mercado já em meados de setembro.
Autenticidade assegurada
Barca-Velha 2011 inclui uma solução inovadora para assegurar a sua autenticidade.
O selo desenvolvido pela Imprensa Nacional Casa da Moeda está colado sobre a cápsula e o vidro, no gargalo da garrafa, e combina um conjunto de tecnologias que podem facilmente atestar a sua autenticidade com um leitor de QR code/código de barras.
Notas de Prova Casa Ferreirinha Barca-Velha 2011
Com uma cor rubi profunda, Casa Ferreirinha Barca-Velha 2011 apresenta um aroma muito complexo, com destaque para as especiarias como a pimenta, as notas balsâmicas, cedro e caixa de tabaco, frutos vermelhos, como a ameixa madura, ardósia e uma madeira de grande qualidade, bem integrada. Na boca tem uma acidez vibrante, muito viva, taninos muito firmes, notas de especiarias, frutos pretos e sabores balsâmicos. O final é extremamente longo, de grande elegância e complexidade.
Ano Vitícola 2011
O ano de 2011 registou um inverno frio e muito chuvoso, o que contribuiu para a reposição das reservas de água no solo. Entre o final da primavera e o início do outono, o clima foi seco, registando-se duas importantes exceções, nos dias 21 de agosto e 1 de setembro, que totalizaram entre 35 e 40 mm de água em toda a região. O verão ameno e a disponibilidade de água no solo permitiram uma maturação das uvas muito equilibrada.
Colheitas lançadas de Casa Ferreirinha Barca-Velha: 1952, 1953, 1954, 1955, 1957, 1964, 1965, 1966, 1978, 1981, 1982, 1983, 1985, 1991, 1995, 1999, 2000, 2004, 2008 e 2011.

Deixe o seu comentário