VAI COM VINHO

Vai com Vinho 27 por Tristão de Andrade

FOTO VAI COM VINHO 27

Vinho ou cerveja? É GRAPE ALE.

A pouco mais de vinte minutos de Lisboa, na histórica Vila de Colares, em Sintra, o edifício da antiga estação do elétrico renovou-se e hoje é a casa do HopSin BrewPub. A vista deslumbrante do terraço sobre a serra abre o apetite a todos que visitam aquele bar e fábrica de cerveja artesanal.

 

Ao leme deste arrojado projeto está Sérgio Pardal, um homem cuja a alma veste as cores da região e o coração exala a paixão pela arte cervejeira.

 

Precisamente a poucos metros de distância, na outra margem da Avenida do Atlântico, a artéria principal da vila, impõe-se à vista a magnifica Adega Regional de Colares. Fundada em 1931 é a mais antiga adega cooperativa vinícola do país.

 

Bastava a simples existência destas duas instituições para justificar a visita à região e na mesma viagem redescobrir os vinhos de Colares e as magias cervejeiras do Sérgio, que já transformou o espaço, numa referência das cervejas artesanais. No entanto quis o destino que esta proximidade não se reduzisse a questões geográficas e fossem lançadas pontes entre as margens da Avenida. Assim nasceu o primeiro projeto comum de GRAPE ALE em Colares. 

 

Vinho ou cerveja? Um híbrido.

 

GRAPE ALE é a fusão de dois mundos tendo no mosto do vinho a base para a receita do produto final, neste caso a malvasia, casta característica da região, e onde todo o processo de produção, embora cervejeiro e artesanal, vai buscar ao mundo vinícola o terroir e a biodiversidade.

 

Um híbrido cuja construção e arquitetura vêm da cerveja mas as fundições estacam no vinho.

 

Francisco Figueiredo, Enólogo da ARC, e Fernando Gonçalves, Mestre Cervejeiro, adicionaram ao projeto o conhecimento técnico mas sobretudo a paixão. Se o primeiro enriqueceu a receita com a sabedoria do vinho, já o segundo acrescentou a espontaneidade artística que só está ao alcance de alguns.

 

Resultado?

Uma GRAPE ALE aveludada, de cor misteriosa e sabor delicioso. Mistura de amargo com doce numa definição demasiadamente subjectiva para conseguir expressar. Excitante, jovem e fresca nas primeiras notas e bastante agradável no travo final. Promissora no acompanhamento da gastronomia regional. Gulosa na forma como se deixa beber. Provocadora. O melhor do vinho numa cama bem feita de cerveja. Enfim, arte para ser desfrutada com todas as papilas gustativas que temos no corpo.

 

Nada como aceitarem este desafio e na primeira oportunidade deixarem que a estrada ou o destino vos levem até estas paragens. À distância de poucos passos podem descobrir esta GRAPE ALE no Hopsin BrewPub e depois a merecida visita à Adega Regional de Colares.

 

E agora o futuro?

Promissor. Fico muito curioso com aquilo que poderá vir depois. As expectativas são elevadas. Quem tem a coragem e a capacidade de unir esforços e conhecimentos para produzir uma GRAPE ALE assim tem o dever de nos brindar com mais. Mais novidades, mais aventuras, mais cervejas, mais vinhos e mais esperança. É inspirador observar o entusiasmo e a paixão desta equipa de três excelentes profissionais que trouxeram à luz do dia, em tempos difíceis, um projeto novo, nacional e que gera altíssimo valor para a região.

 

Se é vinho ou cerveja? É GRAPE ALE de Colares.

 

Tristão de Andrade

 

 

Agradecimentos:

Hopsin BrewPub – Sérgio Pardal, Adega Regional de Colares, Francisco Figueiredo (Enólogo ARC), José Vicente Paulo (Presidente ARC) e Fernando Gonçalves (Mestre cervejeiro).

Deixe o seu comentário